Controle eletrônico de estabilidade (ESC): Tudo que você precisa saber!

Controle eletrônico de estabilidade (ESC): Tudo que você precisa saber!

Se você dirige, provavelmente já passou por alguma situação onde precisou frear mais bruscamente ou mudar de faixa para evitar algum acidente de trânsito. Ou até mesmo fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Correndo o risco de sair da pista ou causar outro tipo de acidente. Para reduzir as chances de acidentes desse tipo, foi criado o Controle Eletrônico de Estabilidade, que é conhecido pela sigla ESC.

Nesse artigo vamos falar tudo que você precisa saber sobre o Controle Eletrônico de Estabilidade, como ele funciona, para que serve e como saber se o seu carro tem esse dispositivo.

O que é controle eletrônico de estabilidade (ESC)?

O Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) é um hardware onde as informações dos sensores de roda, direção e guinada são processadas eletronicamente. Ele faz o programa agir de acordo com as especificidades programadas.

Ele é considerado a maior inovação quando o assunto é segurança automotiva desde a invenção do cinto de segurança. O dispositivo serve para evitar acidentes fatais em até 43%, como explicaremos a seguir.

Justamente por isso, desde o ano passado (2016) o Latin NCAP só dá cinco estrelas para os carros que estiverem equipados com o dispositivo. Ele já é obrigatório na Europa. O Denatran (Departamento Nacional de Transito) já apresentou uma proposta ao Contran (Conselho Nacional de Trânsito) para tornar obrigatório também no Brasil.  A expectativa é que seja aprovada ainda esse ano.

Ele também é conhecido como:

  • ESP: Programa Electrônico de Estabilidade;
  • DSC Controle Dinâmico de Estabilidade;
  • VSA: Vehicle Stability Assist;
  • VSC: Controle de Estabilidade do Veículo.

Além de outros nomes, que podem variar de acordo com a marca do seu carro.

Controle eletrônico de estabilidade

Para que serve?

O Controle Eletrônico de Estabilidade serve para impedir que você perca o controle do carro em situações de risco. Como por exemplo, ao fazer curvas fechadas e desvios bruscos de rota e ao andar em pistas escorregadias.

O dispositivo é acionado toda vez que detecta que o motorista fez um movimento contrário à direção real que o carro deveria seguir. Ele entende que ao virar o volante para fazer uma curva, por exemplo, o carro deve ter um giro específico. Se o carro gira mais que o esperado, é sinal de que o motorista perdeu o controle da direção. Então o sistema age.

Esse controle eletrônico de estabilidade pode acontecer freando uma ou duas rodas ou diminuindo a aceleração e a tração do motor. Isso garante que você consiga desviar do obstáculo ou concluir o trajeto sem perder o controle do carro e manter a direção real que o carro deveria seguir.

Controle eletrônico de estabilidade

Como saber se meu carro tem controle eletrônico de estabilidade?

O Controle Eletrônico de Estabilidade já é obrigatório na Europa e pode passar a ser também no Brasil, já que é um dispositivo muito importante para a segurança automotiva. Enquanto isso não vira uma realidade, você pode saber se o seu carro tem controle eletrônico de estabilidade ao ler o manual ou a ficha técnica do carro.

Que carros já têm o dispositivo ESC?

Atualmente o controle eletrônico de estabilidade só começa a aparecer em carros a partir de R$70 mil. Como é o caso do Honda Civic e do Jeep Renegade Sport, por exemplo. Apesar disso, carros mais populares como o Ford Ka Hatch e o Fiat 500 já vêm com o controle eletrônico de estabilidade como item de série.

Outros carros estão na lista de carros mais vendidos no Brasil que custam abaixo de R$70 mil e que já têm o controle eletrônico de estabilidade de série. São eles:

  • o Fox Pepper (Volkswagen)
  • o Ford New Fiesta (Hatch e Sedan) 1.6
  • o Ford Focus Hatch 1.6
  • o Renault Sandero
  • o Peugeot 308 Allure

Controle eletrônico de estabilidade

Posso mandar instalar um controle eletrônico de estabilidade?

Infelizmente não é possível comprar um controle eletrônico de estabilidade e mandar instalar no seu carro. Ele precisa de vários sensores (instalados nas rodas, na caixa de direção e no eixo longitudinal). Precisa também de uma configuração da montadora para conseguir funcionar.

Caso seja aprovada a obrigatoriedade no Brasil, vamos ter que esperar o tempo de adequação da indústria. Ele deve acontecer para os carros novos apenas em 2020 e para todos os carros que forem comercializados no Brasil até 2022.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Post Comment